Brasil

Publicada em 02/10/14 as 09:46h - 288 visualizações
Em Juazeiro mãe quer livrar das drogas filho de apenas 9 anos
Conselho Tutelar visitou a família e já colocou o menino numa unidade de acolhimento para salvá-lo da morte

Rádio Timbauba FM


 (Foto: Rádio Timbauba FM)

Juazeiro do Norte. Um caso dramático ganhou repercussão neste município nos últimos dias. Uma mãe de 27 anos procurou a imprensa para pedir ajuda a um dos seus quatro filhos, envolvido com drogas. Residente no bairro Pio XII, o garoto de apenas 9 anos de idade já foi até ameaçado de morte por rivais.

A mãe, desesperada, pede um apoio aos órgãos públicos. "Preciso de um lugar para colocar o meu filho onde ele só saia quando for maior de idade, com um bom emprego. Prefiro ter que dar o meu filho do que ver ele morto", suplica.

O Conselho Tutelar de Juazeiro esteve na casa da família e garantiu apoio para a situação. O presidente do Conselho, Adauto Hélio, esclarece que, como a mãe relatou que a criança estava sendo ameaçada de morte, o caso está sendo encaminhado ao Ministério Público. "Uma vez que envolve ameaça, encaminharemos o caso ao MP, para que as investigações sejam iniciadas", afirma. Ele diz que o menino já se encontra em uma das unidades de acolhimento do município, no bairro Triângulo.

"Ao tomarmos conhecimento das ameaças, buscamos o menino diretamente na escola e o levamos para a unidade de acolhimento", revela o presidente do Conselho.

Segundo o relato da mãe, a situação fugiu de seu controle, portanto precisa de ajuda "Ele já me deu muita dor de cabeça, os vizinhos já não falam comigo, porque ele já quebrou telhados, já roubou coisas". Ela conta que o garoto saia de casa pela manhã e só voltava na madrugada, drogado querendo matar a ela e aos irmãos. "A casa está toda destruída, não posso mais nem trabalhar, pois quando eu saía, na volta encontrava tudo quebrado. Já chegaram aqui em casa para matar ele, mas eu sou mãe e escondi meu filho dentro do guarda roupas e não deixei fazerem nada com ele. Sofri muito para criar esse menino, mas ele só vive envolvido com drogas, pegando no que é alheio. Eu vivia de casa em casa e fui muito humilhada", desafaba a mãe.

Acompanhamento

Uma equipe de agentes sociais, formada por conselheiros e psicólogos esteve na casa da criança onde será realizado também um acompanhamento familiar. De acordo com Adauto, no contato com a família do garoto, foi percebido, de imediato, o abalo emocional da mãe e dos irmãos, o que requer também um trabalho dos agentes sociais.

A titular estadual da Assessoria Especial de Políticas Públicas sobre Drogas, Socorro França, explica que a própria lei diz que são três tipos de acolhimento. "O voluntário, que é esse que nós temos 600 vagas, quase todas preenchidas, onde a pessoa pode passar até um ano em recuperação nas comunidades terapêuticas. Tem um outro caso do acolhimento involuntário, quando existe uma doença por trás da dependência química, pode ser um esquizofrênico, tuberculoso, uma pessoa com Aids, quem pode nesse caso prescrever é o médico, não vai para a comunidade terapêutica, e sim para outro tipo de acolhimento. Pode ser um Caps, ou o Hospital de Messejana, que cuida do transtorno mental, da dependência química e tem a internação compulsória, que quem determina é o juiz".

Para esses casos, ela diz que, por enquanto, só existe o Hospital de Messejana, mas afirma que está para começar a construção do Centro de Desintoxicação, para adultos e crianças.

Para o juiz titular da 5ª Vara do Juizado da Infância e Juventude, Manuel Clístenes de Façanha, o grande problema hoje das drogas é a falta de educação. "Inicialmente, o traficante oferece maconha para o jovem e como este não está preparado, não recebeu uma educação boa, dentro de casa, ele sai da maconha para cocaína, seja na forma de pedra ou pó, de uma forma muito rápida".

O juiz observa que, antigamente, o perfil do jovem infrator usuário de droga era uma espécie de "trombadinha", que praticava pequenos furtos, usava cola de sapateiro e ficava muitos anos nisso. A cola era muito barata e ele conseguia manter o vício.

"Porém, hoje, essa realidade mudou completamente. O indivíduo já começa com a maconha e daí para o crack é muito rápido. A vida dele gira em torno disso. Peguei um caso de um que fumava 100 pedras por dia e pra isso ele praticava até cinco roubos ao dia", relata.

As estatísticas criminais mostram que os delitos de furtos deram lugar à prática de roubos, porte de armas e tráfico de drogas, que avançam para homicídios e latrocínios.

"Os índices de criminalidade aumentam mais, com maior gravidade, e a idade diminui. Por trás de tudo isso, está a droga e também a corrupção".

Mais informações
Conselho Tutelar da Criança
E do Adolescente
Rua do Cruzeiro, 575, Centro Juazeiro do Norte
Telefone: (88) 3587.3349




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

088 9 99 104 104

No Ar
Hits da Noite com Charlisson Rafael
Top Música
1
Com um Suspiro
Léo Nascimento
2
VAI SENTIR NA PELE
RAINHAS DA FARRA
3
FATO RARO
MC GUIMÊ
4
MOMENTOS
VICTOR E LÉO
5
Leonardo
Dona do meu Destino
6
REGIME FECHADO
SIMONE E SIMARIA
7
Dependente
Sorriso Maroto
8
SIM OU NÃO
ANNITA
9
EU SEI DE COR
MARÍLIA MENDONÇA
10
DIA LUGAR E HORA
LUAN SANTANA
Peça sua Música

  • Thomé Castro
    Cidade: Ararendá
    Música: Faz o X - Avioes do forro
  • maria sueli monteiro de sousa
    Cidade: São Gabriel da palha e.s
    Música: com um suspiro
  • rody
    Cidade: cidade ocidental goias
    Música: qualquer uma do roupa nova
  • Rozilda
    Cidade: Nova Russas
    Música: Essa do Super Mário que tocou agora a pouco
  • FRANK MOTO TAXI
    Cidade: NOVA RUSSAS CEARÁ
    Música: VIVA MEU PADIM COM LUIS GONZAGA
  • Marília santana
    Cidade: RIO DE JANEIRO
    Música: Jorge e Matheus - contrato
Estatísticas
Visitas: 544943 Usuários Online: 29
Bate Papo

Digite seu NOME:


RÁDIO TIMBAÚBA FM 104,9 - NOVA RUSSAS - CE
Copyright (c) 2018 - Rádio Timbauba FM - Todos os direitos reservados